Para  todos  os  trabalhos espirituais  que fazemos aqui , damos garantias em documento registrado em cartório. Será criada uma página exclusiva para o nosso cliente aqui no site , para que o nosso cliente possa fazer o acompanhamento de seu trabalho aqui conosco através de áudio, fotos e vídeos feitos no momento da realização de seu trabalho - Nossos telefones: (33) 9.9122.2882 (33) 9. 9148.5101 (33) 9. 9945.9392 - WhatsApp (33) 9. 9946. 1734

Iniciação

 Primeiro o santo indica a pessoa a ser iniciada, depois, é preciso cumprir os outros passos. Bolar no santo é o mesmo que cair no santo, este é o sinal que indica a necessidade de iniciação de uma pessoa no candomblé. Acontece sem previsão, normalmente numa festa: durante as danças e os cânticos, o orixá se manifesta no futuro filho de santo, que é agitado por tremores e sobressaltos violentos. Quem já bolou, conta que já sentiu arrepios, calor, fraqueza e sensação de desmaio. Quando acorda no roncó (o quarto do terreiro reservado a pessoa que bolou), o Abiã  não consegue se lembrar de nada que aconteceu.  O BORY  é a cerimonia que reforça a ligação entre o orixá e o iniciado. O Abiãs se senta numa esteira, rodeado de alimentos secos, aves, velas e objetos de seu orixá. Ajudado pelos filhos já feitos, o pai ou mãe  de santo sacrifica aves. O sangue é usado para marcar o corpo do noviço e para banhar as oferendas ao orixá. A cerimonia só termina quando as aves são servidas aos membros da família de santo. Depois do Bori, o futuro filho de santo passa a assistir as cerimonias a preparar o enxoval (a roupa e os adereços do seu orixá) para terminar a iniciação, como as saídas de Iaô.  As Iaôs são apresentadas a comunidade, como num baile. Na primeira saída, as Iaôs vestem branco em homenagem a Oxalá, pai de todos. Saúdam o pai de santo, os atabaques e os pontos principais do barracão e vão-se embora.  Na Segunda saída os Iaôs voltam com roupas coloridas e a cabeça pintada, segundo seus orixás. Dançam e deixam o barracão, em seguida.  Na terceira saída, os orixás anunciam oficialmente seus nomes. Os Iaôs entram em transe e se retiram para vestir as roupas de santo incorporado.  ORÔ - Confinado ao quarto de recolhimento (roncó) por no mínimo 21 dias, o noviço conhece a hierarquia da casa, os preceitos, as orações, os cânticos, a dança de seu orixá, os mitos e suas obrigações. Durante esse tempo ele toma infusões de ervas, que o deixam num estado de entorpecimento e abrem espaço na sua mente para o orixá. A cabeça é raspada e o crânio marcado com navalha: é por esses cortes que o orixá vai entrar, quando for incorporado. No final, o iniciado é batizado com sangue de um animal quadrúpede, sacrificado.